Dois Coelhos Comunicação e Cultura

“ProjecT.aTo – A Dança como Ato” tem início em Maringá

Início Publicações
Esta publicação pertence ao projeto Assessorias de Imprensa

“ProjecT.aTo – A Dança como Ato” tem início em Maringá

Com a proposta de ampliar o conhecimento e profissionalizar o cenário da dança em Maringá, a artista Maria Glória P. Borges idealizou e assumiu a coordenação do “ProjecT.Ato – A dança como ato”, um programa intensivo de formação em dança por meio de seis oficinas seguidas de rodas de conversas, cinco espetáculos e dois eventos de encerramento. Este projeto, que teve sua primeira edição em 2013/2014, agora ressurge por meio do Prêmio Aniceto Matti e tem início no dia 29 de abril. As inscrições serão online por meio do preenchimento de formulário e para a primeira oficina ficam abertas até dia 26 de abril.

“Se eu não posso ir até esses professores, esses maestros profissionalizantes, então vou traze-los para Maringá, pra que não só eu tenha a possibilidade, mas que várias pessoas tenham acesso a essa formação”, explica Maria Glória. Ela ressalta a diversidade desta ação, que passeia pela dança contemporânea, performance, improvisação, dança intuitiva, dança afro, pela relação do corpo com a rua e pelas danças das culturas populares, como o tambor de crioula e o samba de roda.

Participam do projeto os artistas Rafaela Sahyoun, Coletivo Dellas e Trupe Benkady (São Paulo/SP), Inaê Moraes (Salvador / BA), Cia Duo Due (SP/PR), Coletivo Coletivo (Maringá), mestres do Tambor de Crioula do Maranhão e Samba Paraguassu na Linha do Mar (BA/SP). As atividades são totalmente gratuitas e direcionadas a artistas profissionais e leigos das diversas áreas da dança, teatro, circo e produção que vivem em Maringá e região, além de iogues, pesquisadores, estudantes e demais interessados.

Objetivos

O projecT.Ato pretende promover intercâmbios que expandam a visão da cena local e desenvolvam a dança como linguagem artística com alto poder de transformação social e cultural, além de utilizar a dança como plataforma para abordar temas como cultura, gênero, questões afro e afro-indígenas, ancestralidade, protagonismo, religião, espaço público e tecnologia.

“Eu imagino que essa seja uma forma muito poderosa de agregar pra cena da dança aqui em Maringá, porque infelizmente até hoje a gente ainda tem, dentro da área da dança, uma carência muito forte de políticas culturais e também a questão da formação de profissionais. Encontramos formações para crianças e adolescentes, mas para profissionais em dança Maringá ainda não tem”, avalia Maria Glória.

Ela acredita que a cidade vive um novo momento, com o surgimento de mais projetos de formação, grupos e coletivos, a exemplo do Coletivo Coletivo, um núcleo de bailarinos independentes formado por Alexandra Delgado, Flávio Magalhães, Maria Glória e Tatiane Pratti. “Temos o intuito de descontruir um corpo dançante e se movimentar de uma forma que não seja esse que a cidade conhece, não desmerecendo, mas no sentido de mostrar uma diversidade mesmo. Vamos pelo caminho de abrir as portas e se libertar de preconceitos estabelecidos”, explica Alexandra Delgado.

 

Cronograma das primeiras atividades

Dia

Hora

Local

Atividade

Com quem

De 29 de abril a 3 de maio

das 9h30 às 13h

Sala de dança do Teatro Calil Haddad

oficina “Imersão SIM”

com Rafaela Sahyoun (SP)

3 de maio

20h30

Teatro Reviver

espetáculo “Giant”

com Rafaela Sahyoun (SP) e participação especial de DJ Chá di Lirian

16 de maio

20h30

Teatro Reviver

espetáculo “Dellas 17”

Coletivo Dellas (SP)

17 de maio

20h30

Oficina de Teatro da UEM

espetáculo “Dellas 17”

Coletivo Dellas (SP)

17 e 18 de maio

das 10h às 13h

Salas anexas à Oficina de Teatro da UEM

oficina “Imersão Dellas”

Coletivo Dellas (SP)

1º de junho

das 14h às 18h

Vivenda Viva

oficina “Dança intuitiva”

Inaê Moraes (BA)

12 a 14 de junho

Das 19h às 21h30

Casa de Cultura do Jardim Alvorada

Oficina “Dança para um, para dois e para muitos”

Cia Duo Due (SP/PR)

15 de junho

20h

Teatro Barracão

Espetáculo “Fragile”

Cia Duo Due (SP/PR)

25 a 28 de junho

Das 10h às 12h30

Salas anexas à Oficina de Teatro da UEM

Oficinas do Coletivo Coletivo

Coletivo Coletivo (Maringá)

28 de junho

20h30

Oficina de Teatro da UEM

Espetáculo “AmorTecer”

Coletivo Coletivo (Maringá)

29 de junho

17h

Parque do Ingá

Vivência e espetáculo “AmorTecer”

Coletivo Coletivo (Maringá)

 

Mais informações:

Facebook: http://bit.do/projectato

Instagram: @project.ato

Link do formulário da primeira oficina: http://bit.do/ePGLc

 

Comentários