Dois Coelhos Comunicação e Cultura

Escala Cultural traz Lume à Maringá

Início Publicações
Esta publicação pertence ao projeto ESCALA CULTURAL

Escala Cultural traz Lume à Maringá

Escala Cultural traz à Maringá o espetáculo "CAFÉ COM QUEIJO", do Lume Teatro.
 
O trabalho é o resultado de experiências vividas pelos atores em viagens de campo pelo Brasil, quando puderam conviver com caboclos e comunidades indígenas e ribeirinhas. “Café com Queijo” fala de um Brasil profundo, lembrado por meio de lendas, causos, canções, vozes e corporeidades dos moradores locais.
No aconchego de uma colcha de retalhos, conversas e estórias, entremeadas por canções e versos, levam até o público vozes e vidas resgatadas da clandestinidade pelos atores em suas andanças pelo interior do Brasil. Fala-se um pouco de tudo: de curas para males de saúde e do coração, das artes da conquista, de comida, festa, morte, trabalho, solidão, aculturação. Neste espetáculo delicado, tudo tem cheiro e sabor.
Criado em 1999 e durante esse longo percurso as histórias do Brasil que inspiraram e fazem parte dessa obra viajaram por todos os cantos do país, revelando aos mais diferentes públicos novas facetas desse mesmo Brasil. 
Como o espetáculo tem público limitado a 100 pessoas, faremos duas sessões, sendo uma no dia 3 de agosto e outra no dia 4 de agosto, sempre às 20h no Teatro Calil Haddad. 
 
Entrada gratuita. 
Ingressos distribuídos 30 minutos antes na bilheteria do teatro, SOMENTE UM POR PESSOA. Agradecemos a compreensão!
Classificação: 12 anos
---
Criado em 1999, o espetáculo já se apresentou em diversas cidades do Brasil, tendo participado dos principais festivais nacionais de teatro e nas cidades de Lisboa, Évora e Santo André, em Portugal.
 
FICHA TÉCNICA DO ESPETÁCULO
Criação, concepção e atuação: Ana Cristina Colla, Jesser de Souza, Raquel Scotti Hirson e Renato Ferracini 
Iluminação: Abel Saavedra
Figurinos: Fernando Grecco
Costureiras: Nair Barbosa Pinto e Carmem Castanho
Apoio musical: Ivan Vilela e Kai Bredholt
Músicas reproduzidas: "Paisagens" e "Calma Roceira” de Ivan Vilela e "Deus Fez o Dia", executada por Seu Justino em pesquisa de campo.
Aporte à pesquisa: FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo
Coordenação técnica: Francisco Barganian
Apoio administrativo: Giselle Bastos
Design gráfico: Arthur Amaral 
Assessoria de comunicação: Marina Franco 
Coordenação de produção: Cynthia Margareth 
Produção Executiva: Juliana Kaneto
Realização: Lume Teatro
 
O LUME Teatro, Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP, é um centro de pesquisa teatral. Desde sua criação vem se dedicando a elaborar e codificar técnicas corpóreas e vocais de representação, redimensionando o teatro enquanto ofício, como uma arte do fazer, e o ator como um artesão que executa ações, entendendo técnica e criação como elementos inseparáveis. Buscar o “ser ator” através do princípio de se pesquisar o homem e suas relações, corpo e dimensão interior, via treinamento e representação.
As origens do Lume repousam na experiência de Luís Otávio Burnier (1956 – 1995), especialmente em seus oito anos de treinamentos e pesquisas na Europa, onde estudou três anos com Etienne Decroux, criador da Mímica Corporal moderna e trabalhou com Eugenio Barba, Philippe Gaulier, Jacques Lecoq, Ives Lebreton, Jerzy Grotowski e com mestres do teatro oriental (Noh, Kabuki e Kathakali). Em 1985, Burnier iniciou o núcleo juntamente com o ator Carlos Simioni e a musicista Denise Garcia; colaboração esta que se ampliou a partir de 1988, com a entrada do também ator Ricardo Puccetti e em 1994, com a chegada de novos atores: Renato Ferracini, Raquel Scotti Hirson, Ana Cristina Colla, Jesser de Souza. Desde 1998, também compõe o grupo Naomi Silman.
Desde a sua fundação, o Lume criou 23 espetáculos, tais como “Cravo, Lírio e Rosa”, “Shi-zen 7 cuias”, “O que seria de nós sem as coisas que não existem”, “Os bem – intencionados” e diversos solos. Diversas obras seguem em repertório. Estes espetáculos, juntamente com o conjunto de workshops e demonstrações técnicas do grupo, vêm sendo apresentados pelo Brasil e por mais de 20 países.
Além das pesquisas entre os membros do grupo, os intercâmbios com outros artistas são uma constante. Através deles cria-se a possibilidade de entrar em contato com outros modos de fazer e pensar a arte, com a imensa riqueza das diferenças e a compreensão mais clara e precisa do caminho que o grupo vem trilhando desde seu início. Ao longo dos anos, o LUME desenvolveu uma relação especial de trabalho com os mestres Iben Nagel Rasmussen (Odin Teatret, Dinamarca), Natsu Nakajima (Japão), Nani e Leris Colombaioni (Itália), Sue Morrison (Canadá), Tadashi Endo (Japão) e Kai Bredholt (Odin Teatret, Dinamarca).
Barão Geraldo, local da sede do LUME, tornou-se um importante pólo teatral no Brasil, onde diversos grupos e artistas se instalaram para se dedicar à pesquisa em busca de um fazer teatral que valorize o ator e de um teatro que reflita sua identidade e suas ansiedades estéticas e artísticas, tudo numa atmosfera de colaboração e troca.
 
---
O Escala Cultural é um projeto da 2 Coelhos Comunicação e Cultura. Tem como objetivo oferecer uma programação cultural permanente, trazendo um espetáculo por mês na cidade de Maringá (PR). 
 
Produzido com verba de incentivo à cultura - Lei Municipal 9160/2012 - Prêmio Aniceto Matti.

Comentários